CPI da Covid-19: Depoimento de Fabio Wajngarten será no dia 11 de maio

Na próxima semana, também serão ouvidos o diretor do Instituto Butantan, a presidente da Fiocruz, representantes da Pfizer no Brasil e o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo

  • Por Jovem Pan
  • 05/05/2021 16h50 - Atualizado em 05/05/2021 19h21
Alan Santos/PR Empresário comandou a Secom no governo Bolsonaro Calendário de novos depoimentos foi aprovado nesta quarta-feira, 5

A CPI da Covid-19 aprovou, nesta quarta-feira, 5, uma nova rodada de depoimentos, que serão realizados na próxima semana. O ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) Fabio Wajngarten será ouvido na terça-feira, 11. No mesmo dia, prestarão depoimento Marta Díez, atual presidente da Pfizer no Brasil, e seu antecessor, Carlos Murillo. Os integrantes da comissão querem esclarecer como detalhes da negociação do governo federal com a farmacêutica alemã, já que a União recusou uma oferta de 70 milhões de doses contra o coronavírus feita pela empresa em agosto do ano passado.

Em entrevista à revista Veja, Wajngarten afirmou que houve “incompetência” e “ineficiência” do Ministério da Saúde na negociação com a Pfizer. Depois da recusa inicial, o governo assinou um contrato para a aquisição de 100 milhões de doses do imunizante e, segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, está na iminência de adquirir mais 100 milhões de doses. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima, serão ouvidos na quarta-feira, 12. Na quinta-feira, 13, prestarão depoimento o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo e o presidente da União Química, Fernando de Castro Marques, responsável pela produção da vacina Sputnik V no Brasil.