CPI da Covid: Barroso solicita análise da PF sobre provas contra Bolsonaro

Comissão parlamentar de inquérito que investigou a atuação do governo federal durante a pandemia teve início em 27 de abril e encerrou-se em 26 de outubro de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2022 20h35
GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO Luís Roberto Barroso é ministro do Supremo Tribunal Federal Ministro Luís Roberto Barroso foi chamado de 'criminoso' pelo presidente Jair Bolsonaro recentemente

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, encaminhou à Polícia Federal (PF) as provas que foram coletadas pela CPI da Covid contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) e parceiros políticos. A suspeita é de que o grupo tenha disseminado notícias falsas referente ao Covid-19 e maneiras de se prevenir da doença durante a pandemia. De acordo com Barroso, o trabalho da Procuradoria-Geral da República (PGR) ficou comprometido com o relatório da comissão parlamentar de inquérito, já que o documento não vinculou, com precisão, os materiais obtidos com as condutas criminosas. O magistrado alegou que deve-se “sistematizar a documentação apresentada” para solicitar a instauração de inquérito. Dessa maneira, a Polícia Federal conseguirá realizar uma “análise mais precisa dos fatos”.