CPI da Covid: relatório final chega ao Tribunal Internacional de Haia

Documento com acusações ao presidente Jair Bolsonaro (PL) foi encaminhado à corte internacional que julga casos de crimes contra a humanidade

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2022 22h20
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado Senador Renan Calheiros (MDB-AL) segura o relatório final da CPI da Covid Senador Renan Calheiros (MDB-AL) realiza a leitura do relatório final da CPI da Covid.

O Tribunal Penal Internacional de Haia recebeu o relatório final da CPI da Covid nesta quarta-feira, 9. A informação foi confirmada pela assessoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) à equipe de reportagem da Jovem Pan. O documento já está sob posse dos membros da Corte. No total, são atribuídos nove crimes contra o presidente Jair Bolsonaro (PL): charlatanismo, emprego irregular de verba pública, falsificação de documentos particulares, incitação ao crime, epidemia com resultado morte, infração a medidas sanitárias preventivas, crime de responsabilidade e crimes contra a humanidade.

Com 1.180 páginas, o relatório produzido pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) indiciou 66 pessoas, entre eles empresários, deputados e ministros da Saúde (o titular, Marcelo Queiroga; e o anterior, Eduardo Pazuello), além de identificar 29 tipos penais. A relatoria ainda apontou que duas empresas, a Precisa Medicamentos e a VTCLog, cometeram crimes durante a sua atuação na pandemia da Covid-19. Quando o relatório foi divulgado, Bolsonaro se eximiu de culpa e criticou o colegiado. “Nada produziram, a não ser o ódio e o rancor entre algum de nós. Sabemos que não temos culpa de absolutamente nada”, declarou.