Diante da alta de casos de Covid-19, Fux cancela retorno das sessões presenciais do STF

Corte permanecerá em trabalho remoto pelo menos até o fim de fevereiro; portaria com novas diretrizes deve ser publicada na quinta-feira, 27

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2022 18h19 - Atualizado em 26/01/2022 18h44
Nelson Jr./SCO/STF O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, marcou para a próxima quarta-feira, 14, o julgamento sobre a instalação da CPI da Covid-19 no Senado Cautela: Decisão foi oficializada pelo STF nesta quarta-feira, 26

Diante do recrudescimento da pandemia do novo coronavírus, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, decidiu cancelar o retorno presencial à Corte previsto para a terça-feira, 1º, quando termina oficialmente o recesso judicial. A portaria com as novas diretrizes será publicada nesta quinta-feira, 27, no Diário da Justiça Eletrônico (DJe). Com a decisão, o STF realizará as primeiras decisões deste ano de forma remota, entre elas, a sessão solene de reabertura dos trabalhos do Judiciário.

“O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Luiz Fux, autorizou hoje a prorrogação, até fim de fevereiro, da portaria que libera o trabalho remoto excepcional na Corte. A medida foi tomada em razão dos índices elevados de transmissão e contaminação por Covid-19 e influenza no Distrito Federal. A portaria deve ser publicada nesta quinta-feira (27). Com isso, a sessão de reabertura dos trabalhos do Judiciário, na próxima terça (1º), será realizada de maneira totalmente remota”, informou a Corte.

O avanço da variante ômicron do coronavírus preocupa as autoridades sanitárias do país. Nesta terça-feira, 25, o Brasil registrou mais de 199 mil novos casos de Covid-19. A média móvel de novas contaminações nos últimos sete dias chegou a 159.789, a maior desde o início da pandemia, marcando o recorde pelo oitavo dia seguido. Também na terça, a ocupação de leitos no Distrito Federal chegou a 100%.