Lula diz que pretende tirar 8 mil militares de cargos comissionados caso seja eleito

Em evento na sede da Centra Única dos Trabalhadores, petista falou sobre as expectativas e planos para caso derrote Jair Bolsonaro nas eleições deste ano

  • Por Jovem Pan
  • 04/04/2022 15h28
WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO Lula durante jantar do grupo Prerrogativas, em São Paulo, neste domingo, 19 Presidente falou sobre desafios que encontrará ao assumir o governo se for eleito em outubro

O ex-presidente e pré-candidato do PT para a presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que pretende tirar quase 8 mil militares que ocupam cargos comissionados caso seja eleito no pleito de outubro deste ano. A afirmação foi feita pelo petista nesta segunda-feira, 4, durante um encontro na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Ao elencar dificuldades que encontrará caso seja eleito para substituir Jair Bolsonaro (PL) na presidência, Lula falou sobre os militares e seus planos para o grupo. “Nós vamos ter que começar o governo sabendo que vamos ter que tirar quase 8.000 militares que estão em cargos de pessoas que não prestaram concurso. Vamos ter que tirar. Isso não pode ser motivo de bravata, tem que ser motivo de construção. Porque se a gente fizer bravata pode não fazer”, afirmou o petista. Em outro momento, Lula disse prever uma eleição complicada. “Não vai ser fácil, não é uma guerra que está ganha. É uma guerra que a gente pode ganhar”, disse o petista, que também demonstrou estar otimista.