PF prende blogueiro bolsonarista por envolvimento com atos de 7 de setembro

Medida foi cumprida após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2021 18h07 - Atualizado em 03/09/2021 18h25
Reprodução/Twitter/WMacedosMacedo foi preso no âmbito de investigação sobre manifestações com ataques às instituições

A Polícia Federal (PF) prendeu, nesta sexta-feira, 3, o blogueiro bolsonarista Wellington Macedo de Souza, investigado por suposto envolvimento na organização dos atos convocados para o 7 de setembro. Em seu perfil no Twitter, Macedo, que foi candidato a vereador nas eleições de 2020 em Sobral, no Ceará, se apresenta como especialista em jornalismo investigativo. A medida foi cumprida após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). “A medida, cumprida em Brasília, tem o objetivo de aprofundar investigações em curso nos autos de inquérito que tramita naquela Corte”, diz nota da PF. Macedo já havia sido alvo de buscas no dia 20 de agosto, em uma operação que também atingiu o cantor Sérgio Reis e o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), aliado do presidente Jair Bolsonaro no Parlamento. De acordo com a PGR, o blogueiro é um dos responsáveis pela convocação e divulgação do “ato violento e antidemocrático” previsto para o feriado do Dia da Independência do Brasil.

Nesta sexta-feira, em uma agenda na Bahia, Bolsonaro disse que “se alguém quiser jogar fora das quatro linhas” da Constituição, ele poderá “fazer também valer a vontade e força desse povo”. Em seu discurso, o chefe do Executivo federal também disse, em uma alusão a Moraes e o ministro Luis Roberto Barroso, que “uma ou duas pessoas tem que entender o seu lugar”. “Não podemos admitir que uma ou duas pessoas que usando da força do poder queiram dar novo rumo ao nosso país”, afirmou. “Essas uma ou duas pessoas tem que entender o seu lugar. E o recado de vocês, povo brasileiro, nas ruas, na próxima terça-feira, dia 7, será um ultimato para essas duas pessoas”, acrescentou.