Por que a nova pesquisa presidencial é uma má notícia para a terceira via

Candidatos ainda não têm um eleitorado consolidado na disputa pelo Planalto; levantamento aponta para segundo turno entre Lula e Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2022 14h34 - Atualizado em 25/04/2022 20h15
ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA, DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO, LUIS MACEDO/ACERVO CÂMARA DOS DEPUTADOS e EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO Montagem com fotos de João Doria, Simone Tebet, Luciano Bivar e Eduardo Leite Candidatos da terceira via não tem eleitorado consolidado

A nova pesquisa presidencial BTG/FSB divulgada nesta segunda-feira, 25, mostra que a maioria dos eleitores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) não pretendem mudar o voto até as eleições de outubro. O levantamento é uma má notícia para os postulantes da chamada terceira via, que patina na tentativa de escolha de uma candidatura competitiva para se contrapor à polarização entre Lula e Bolsonaro, e indica que os outros candidatos ainda não têm um eleitorado consolidado na disputa pelo Palácio do Planalto. Entre os entrevistados que declararam voto em Lula, 82% disseram que a decisão já está tomada e que não há possibilidade de mudança. É o mesmo patamar alcançado por Bolsonaro. A diferença entre os dois é que 17% dizem que podem mudar de opinião quanto ao voto no petista, enquanto 18% sinalizam que podem trocar o capitão reformado do Exército por outro candidato. Em linhas gerais, a pesquisa mostra que, neste momento, não há muita margem de crescimento para os demais presidenciáveis.

O cenário para a terceira via, como os números indicam, não é favorável. Ciro Gomes (PDT), que atualmente ocupa o terceiro lugar nas pesquisas eleitorais e passou a ser cortejado pelos caciques de siglas de centro, tem 59% dos eleitores indecisos, isto é, que ainda podem mudar de opinião. Outros 39% têm certeza que votarão no pedetista em outubro. Entre os eleitores de João Doria (PSDB), 74% responderam que a decisão pode mudar. Mais do que isso: apenas 26% estão decididos em votar no tucano, que venceu o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite nas prévias do PSDB. A pesquisa também mostra que 91% dos entrevistados que declararam voto em Simone Tebet (MDB) ainda podem optar por outro candidato – apenas 9% disseram ter certeza da escolha pela emedebista. Luciano Bivar, presidente nacional e pré-candidato do União Brasil ao Planalto, não foi incluído neste cruzamento.

União Brasil, MDB, Cidadania e PSDB negociam o lançamento de uma candidatura única à Presidência da República. Dirigentes e pré-candidatos dos partidos se reuniriam nesta segunda-feira em um jantar, em São Paulo, mas o encontro foi adiado. Assim como outras pesquisas divulgadas ao longo dos últimos meses, o levantamento da BTG/FSB divulgado nesta segunda aponta para um segundo turno entre Lula e Bolsonaro. O petista lidera a disputa com 41% das intenções de voto, enquanto o atual presidente tem 32%. Ciro segue em terceiro lugar, com 9%. João Doria e André Janones (Avante) empatam com 3%. Simone Tebet e Vera Lúcia (PSTU) têm 1%. Foram entrevistados dois mil eleitores entre os dias 22 e 24 de abril. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com nível de confiança de 95%.