‘Quebra de sigilo é coisa séria, um constrangimento para inocentes’, diz Bolsonaro

Presidente afirmou que ‘tem que haver uma motivação’ para a medida; CPI aprovou quebra de sigilo de Ricardo Barros, Frederick Wassef e Allan dos Santos nesta quinta-feira, 19

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2021 20h23 - Atualizado em 19/08/2021 21h05
EFE/ Joédson Alves/ArchivoPresidente criticou decisão da CPI da Covid

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou nesta quinta-feira, 19, durante sua live semanal, as quebras de sigilo fiscal e bancário aprovadas pela CPI da Covid-19 na sessão de hoje. “Baseado no que? Pelo que eu sei, pelo que está na lei, cada pessoa tem que ter uma explicação, uma motivação [para a quebra de sigilo]”, afirmou o presidente ao responder uma pergunta de Augusto Nunes, comentarista do programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan. “Quebra de sigilo é coisa séria, um constrangimento para inocentes, igual uma busca e apreensão. A pessoa fica marcada”, disse. Os senadores aprovaram, no total, 187 requerimentos. São alvos da quebra de sigilo o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, o advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, e o blogueiro Allan dos Santos, do canal Terça Livre.

Durante a live, Bolsonaro também disse que deve tomar uma decisão sobre o fundo partidário nesta sexta-feira, 20. O mandatário, no entanto, não informou se vai vetar ou não a medida. “Amanhã sai a sanção ou veto do fundo partidário, tá ok, pessoal? Vou fazer a coisa certa”, declarou. Bolsonaro já afirmou algumas vezes que vetaria o fundão, aprovado pela Câmara no valor de R$ 5,7 bilhões. Em julho, porém, ele disse que vetaria somente R$ 2 bilhões. 

Assista a live do presidente Jair Bolsonaro no programa “Os Pingos Nos Is” desta quinta-feira, 19: