Representação contra Delegado Olim por quebra de decoro parlamentar é barrada na Alesp

Conselho de Ética da Casa negou pedido contra o parlamentar por seis votos a quatro; legislador havia dito que Isa Pena teve ‘sorte’ por ser importunada sexualmente no plenário pois o caso garantiu sua releeição

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2022 16h58
Arquivo Agência Alesp - 05/04/2021 Delegado Olim Representação contra Delegado Olim foi rejeitada pela Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp)

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) negou uma representação enviada contra o deputado federal Delegado Olim (PP) por falas referentes ao episódio de importunação sexual cometido pelo deputado Fernando Cury (União Brasil) contra a colega Isa Penna (PCdoB). Na votação, Adalberto de Freitas (PSDB), Alex de Madureira (PL), Barros Munhoz (PSDB), Campos Machado (Avante), Professor Jenny (PP) – que substitui Olim no Conselho de Ética -, e Wellington Moura (Republicanos) votaram de maneira contrária. Já Enio Tatto (PT), Erica Malunguinho (PSOL), Maria Lúcia Amary (PSDB), presidente da comissão; e Marina Helou (Rede) se posicionaram a favor da representação. Por seis votos a quatro, a ação foi rejeitada.

Por meio de suas redes sociais, Penna ressaltou que irá recorrer do parecer e que todos os votos contrários à medida foram de parlamentares homens. “Junto a minha equipe jurídica, vamos ingressar novo pedido para que o deputado seja responsabilizado por suas falas e ações que afrontam todas as mulheres”, alegou Isa. A ação refere-se a uma declaração de Olim, em uma entrevista, que Penna teve “sorte” por ter sido importunada sexualmente por Fernando Cury pois a repercussão deste caso irá lhe reeleger. No dia seguinte após manifestar sua opinião, Olim alegou que “se expressou mal em sua fala e que, conhecendo o deputado, sabia que ele não teve em nenhum momento a intenção de fazer aquilo, mas mereceu ser punido porque mulher precisa de respeito sempre”.