TRF-5 determina anulação de busca e apreensão contra Ciro Gomes

Operação chamada de Colosseum foi realizada pela Polícia Federal em dezembro de 2021 e buscava provas de um suposto desvio de verba nas obras da Arena Castelão entre 2010 e 2013

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2022 21h28
Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo - 2/10/2018 O político Ciro Gomes de lado usando camiseta azul Ciro Gomes alegou que irá 'até o fim' com sua candidatura e que vencerá no segundo turno

A Quarta Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) atendeu, de maneira unânime, a uma solicitação realizada pelo pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT), e anulou os mandados de busca e apreensão expedidos em dezembro de 2021. Na ocasião, a Polícia Federal deflagrou uma operação chamada de Colosseum e investigava um suposto desvio de verba nas obras da Arena Castelão entre 2010 e 2013 durante o governo de Cid Gomes, irmão de Ciro, no Ceará. Cerca de 80 agentes participaram da força-tarefa, que quebrou os sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático do irmãos Gomes.

A PF alegou que as investigações indicavam “possível pagamento de vantagem indevida para que a Galvão Engenharia obtivesse êxito no processo licitatório da Arena Castelão e, na fase de execução contratual, recebesse valores devidos pelo governo do estado ao longo da execução da obra de reforma, ampliação, adequação, operação e manutenção do Estádio”. Já os desembargadores consideraram que houve constrangimento legal. Ciro se manifestou através das suas redes sociais e afirmou que “mesmo nos momentos de maior indignação nunca duvidei de que a verdade e a justiça prevalecessem sobre o arbítrio, a manipulação e a prepotência. Esta decisão do TRF5 honra o judiciário brasileiro.”