TSE nega pedido de cassação de Sergio Moro ao Senado

De acordo com a Corte eleitoral, o ex-juiz da Lava Jato cumpriu os requisitos de elegibilidade

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2022 15h55
Cassiano Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo - 02/10/2022 Sergio Moro Sergio Moro foi eleito senador pelo Paraná com 1,9 milhões de votos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou um pedido de cassação da candidatura do ex-ministro Sergio Moro (União Brasil) ao Senado. A solicitação  foi feita pela Federação Brasil da Esperança do Paraná composta por PT, PC do B e PV, alegando que Moro não havia se filiado ao partido dentro do prazo legal. O mesmo pedido foi negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Estado  anteriormente. Segundo o relator do recurso, o ministro Raul Araújo afirmou que todos os requisitos de elegibilidade foram cumpridos e por isso rejeitou o pedido. Os demais integrantes do tribunal acompanharam sua decisão. O ex-juiz da Lava-Jato estava filiado ao Podemos do Paraná até março, mas deixou a legenda e foi para o União Brasil de São Paulo. No entanto, o TRE-SP cancelou a transferência do domicílio eleitoral do ex-juiz, alegando que não havia vínculo para concorrer no Estado. Moro retornou ao  Paraná, onde foi eleito para o Senado com 1,9 milhão de votos, superando Paulo Martins (PL) e o atual senador Alvaro Dias (Pode). Pelo Twitter, o senador eleito classificou a decisão do TSE como “vitória do direito e da democracia”. “Os votos dos 1.953.188 paranaenses serão honrados na tribuna do Senado Federal”, concluiu Moro.

 

 

 

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.