População latina nos EUA chegou a 55,4 milhões em 2014, 17,5% do total

  • Por Agencia EFE
  • 25/06/2015 23h04

Washington, 25 jun (EFE).- A população latina dos Estados Unidos cresceu ano passado em 1,2 milhão de pessoas, e chegou às 55,4 milhões, com altas nos tradicionais estados de Califórnia, Texas, Flórida e Nova York, apontaram os últimos dados publicados nesta quinta-feira pelo Escritório do Censo, que analisou o período entre julho de 2013 e julho de 2014.

A população total também aumentou no país, de 316,4 milhões para 318,9 milhões.

A última atualização do Escritório do Censo levou em conta fatores como idade, sexo, raça e origem da população.

Todos os estados com maior população latina (Califórnia, Texas, Flórida e Nova York) registraram altas.

A Califórnia, por exemplo, viu sua população hispânica, que já é quase majoritária no estado, passar de 14,76 milhões de habitantes para 14,98 milhões.

O Texas, por sua vez, registrou a maior alta anual, com 228 mil novos habitantes hispânicos, até os 10,41 milhões.

A Flórida tem atualmente 4,78 milhões, frente aos 4,64 milhões do ano anterior.

Em quarto lugar está Nova York, que também viu a população latina passar de 3,62 milhões para 3,67 milhões em 12 meses.

A tendência, no entanto, é generalizada e quase todos os estados experimentaram incrementos na população de hispânicos, incluídos aqueles com tradicionalmente menor presença, como Kentucky, Idaho, Montana, Dakota do Norte e New Hampshire.

De fato, Califórnia, Texas e Flórida continuam a ter mais da metade da população latina total, mas de 58% em 2000 para 55% em 2014.

O Novo México é o estado com maior porcentagem de latinos entre a população total, 47,7%.

O relatório ressaltou a tendência da crescente diversidade racial no país, onde as minorias passaram de 32,9% em 2004 para 37,9% em 2014, tendo os hispânicos como o grupo mais numeroso.

De fato, cinco estados contam já possui mais da metade da população de minorias, como é o caso de Havaí (77%), do Distrito de Columbia, onde fica Washington, (64,2%); da Califórnia (61,5%), do Novo México (61,1%) e do Texas (56,5%).

Os dados apontaram que Nevada pode ser o próximo estado a entrar neste grupo, com 48,5% da população pertencente a minorias.

Outras minorias também perceberam que a população negra cresceu 1,3%, para 45,7 milhões; a asiática aumentou 3,2%, para 20,3 milhões; e os índio-americanos somaram 6,5 milhões, 1,4% a mais que no ano anterior.

Deles, os hispânicos possuem a menor média de idade, 29 anos; seguidos pelos 34 anos dos negros e os 36 anos dos asiáticos.

Este aumento na diversidade racial também é evidenciado pelo envelhecimento da população branca, cuja idade média alcançou o recorde histórico de 43 anos, e o fato de na categoria de menores de cinco anos os grupos minoritários superarem numericamente os brancos.

O crescente peso demográfico da população latina é considerado um dos elementos chave nas eleições presidenciais de 2016, e o voto latino um dos mais cortejados pelos candidatos democratas e republicanos. EFE