Portugal supera penúltimo exame da “troika” e crescerá mais em 2014

  • Por Agencia EFE
  • 28/02/2014 17h04

Lisboa, 28 fev (EFE).- A “troika” aprovou os avanços de Portugal no 11º e penúltimo exame no programa de ajustes aplicados em troca do resgate financeiro do país, e o governo prevê agora mais crescimento econômico (1,2%) e menos desemprego (15,7%).

“Portugal termina de forma positiva a 11ª avaliação, e o que é importante por ser a penúltima”, declarou hoje em entrevista coletiva o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, que lembrou a “situação difícil” que o país passou nos exames anteriores.

Portas adiantou que há uma melhora nas previsões do país para 2014 e comentou que a economia crescerá 1,2% em vez do esperado 0,8% e o desemprego diminuirá, dos atuais 17,7% para 15,7%.

Este ano “haverá mais emprego, mais exportações e mais investimentos”, reforçou o vice-primeiro-ministro, que também constatou “uma evolução positiva” no mercado da dívida pública pela queda das taxas de juros (atualmente ligeiramente abaixo dos 5%).

O governante descartou uma redução de salários, como sugeriu a troika para fomentar a competitividade, e insistiu que já se aplicaram os cortes pertinentes nesse capítulo.

“Nosso modelo não se assenta em baixos salários e sim na melhoria da competitividade”, atracou.

Com este sinal verde, os técnicos da Comissão Europeia (CE), do Banco Central Europeu (BCE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovaram a liberação de um novo lance da ajuda financeira, o penúltimo antes de maio, até completar os 78 bilhões de euros de empréstimo.EFE