Premiê da Itália diz que apoia formar coalizão para derrotar Estado Islâmico

  • Por Agência Estado
  • 18/11/2015 16h44
Primeiro-ministro da Itália

O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, disse nesta quarta-feira que ele compartilha da insistência do presidente russo, Vladimir Putin, de que é necessário formar “uma grande coalizão de países” para derrotar o Estado Islâmico.

Segundo Renzi, a ideia de uma grande coalizão é uma “proposta muito certa” e necessária para combater o Estado Islâmico, assim como a formada na Segunda Guerra Mundial para derrotar Hitler. 

Em uma entrevista à TV Sky TG24, Renzi afirma que essa coalizão seria “muito positiva”. 

Em pronunciamento durante evento com prefeitos, o presidente francês, François Hollande, pediu hoje (18) à população francesa que não ceda ao medo após os ataques terroristas em Paris na semana passada e que a “vida deve continuar plenamente”. Ele defendeu uma coalizão internacional para combater o Estado Islâmico, informou que pretende prorrogar por 3 meses o estado de emergência no país e reiterou o compromisso de acolher 30 mil refugiados.

O presidente francês defendeu que os países se unam para deter o Estado Islâmico. Ele ressaltou que a França intensificou os ataques contra o grupo na Síria e que essas ações vão continuar enquanto for necessário.

Na terça-feira (24), Hollande irá a Washington para discutir o assunto com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e na quinta-feira (26), a Moscou, para reunião com o mandatário russo, Vladimir Putin.