“Preocupante”: ex-presidente do BC diz que ajuste é lento e prolonga recessão

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2015 12h03
AGÊNCIA ESTADO Ex-presidente do BC

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan nesta quinta-feira (23), o ex-presidente do Banco Central, Carlos Langoni, afirma que a mudança de estratégia econômica do governo é “preocupante”. “O que estamos vendo é que será um ajuste lento, prolongado e, portanto, o seu efeito principal que seria reverter o clima de incerteza e melhorar as expectativas não vai acontecer tão cedo”, avalia.

A preocupação de Langoni vem do anúncio feito na quarta (22) pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, no qual reduz a meta superávit primário de 1,9% para 0,15% do PIB, aumentando os riscos para a economia brasileira, e expande os cortes orçamentários em R$8,6 bilhões, alcançando R$79,4 bilhões. Levy também admitiu a possibilidade de haver déficit este ano caso a evolução das receitas continue a apresentar maus resultados.

“No início, o governo anunciava um ajuste rápido e duro, uma correção do desequilíbrio que deveria acontecer ainda no primeiro semestre deste ano para que a economia pudesse reagir de forma mais rápida e sair desse padrão recessivo”, relembra.

Langoni ainda reúne na análise a crise política. “O Congresso [está] difícil de aprovar e aceitar que as medidas de reajuste são fundamentais para que o país possa construir uma nova pá de crescimento bem mais estável e sustentável e sustentável”, e conclui, “o governo enfrenta essa batalha política e o ministro da Fazenda fica no meio desse tiroteio”.