Presidenciáveis não podem ficar alheios, diz historiadora; Hillary e Trump falam sobre tiroteio

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2016 11h25
Donald Trump e Hillary Clinton mantiveram suas vantagens e trocaram acusações sobre combate ao terrorismo

Um homem identificado como Omar Mateen abriu fogo dentro de uma boate gay em Orlando, nos Estados Unidos, e matou cerca de 50 pessoas e deixou ao menos 53 feridos. Omar Mateen é um cidadão norte-americano de Fort Pierce, na Flóridda. Ele tinha 29 anos e segundo o FBI ele tinha tendências pró-radicalismo islâmico.

Com a notícia, os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton e Donald Trump, principais candidatos na corrida eleitoral, manifestaram-se nas redes sociais.

Em entrevista à Jovem Pan, a historiadora Maria Aparecida Aquino afirmou que o ato causa impacto na corrida eleitoral americana. “Provoca nos dois candidatos a necessidade de se manifestarem. Não há a possibilidade dos dois candidatos ficarem alheios. Não digo que vá pautar as reivindicações daqui para frente, mas isso coloca a necessidade de eles terem uma posição a respeito”.

A candidata democrata afirmou que seus pensamentos estão com as vítimas desse horrível ato. Também em espanhol, já que o local conta com uma grande comunidade hispânica (e até mesmo brasileira), Hillary mostrou espanto com a “devastadora notícia”.

Do lado republicano, o candidato Donald Trump foi menos caloroso que Hillary e informou sobre o tiroteio dizendo que foi algo muito ruim.