Presidente da Sabesp descarta rodízio de água em SP em 2015

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2015 15h21
BRASÍLIA, DF, BRASIL, 10-12-2008, 15h00: O presidente da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Jerson Kelman, na Comissão de Infra-Estrutura do Senado. (Foto: Carlos Humberto/Folhapress, POLÍTICA)Jerson Kelman

O presidente da Sabesp foi enfático ao declarar que São Paulo não terá racionamento de água, apesar das condições críticas do Cantareira. Jerson Kelman destacou que o sistema está cada vez menos demandado, além da economia da população.

O Estado estima para setembro a entrega da obra de interligação entre o Rio Grande e o Alto Tietê. O presidente da Sabesp afirmou que a empresa não pode ficar esperando a boa vontade de São Pedro.

“A sociedade exige que não se dependa de São Pedro. Nós não estamos dependendo das chuvas. Na situação atual, a possibilidade de rodízio está evitada. Não vamos ter rodízio se a população continuar economizando como economiza e se concluirmos, como estamos concluindo, as nossas obras de reforço dentro do cronograma estimado que, em setembro, estará funcionando a ligação do Rio Grande com o Alto Tietê”, explicou.

Kelman ficou irritado com as perguntas sobre a possibilidade das obras atrasarem. Ele elevou o tom e fez uma comparação inusitada para descartar qualquer eventualidade.

“Eu acabei de dizer que a previsão de entrada da ligação Rio Grande-Alto Tietê é para setembro. Se tiver um terremoto em SP, as coisas vão ficar graves. Não há nenhuma razão para achar que vai ter um terremoto e nem nenhuma razão para achar que vai haver atraso de obras”, disse.

Nesta quarta-feira, Jerson Kelman prestou esclarecimentos à CPI da Sabesp instalada na Câmara Municipal de São Paulo. O nível do Cantareira ficou estável em 19,8% depois de dois dias de alta.