Presidente do CICV classifica situação humanitária do Iêmen de “catastrófica”

  • Por Agencia EFE
  • 11/08/2015 12h20

Cairo, 11 ago (EFE).- O presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Peter Maurer, afirmou nesta terça-feira, ao término de sua visita de três dias ao Iêmen, que o país “está desmoronando” e que a situação humanitária é “catastrófica e piora dia a dia”.

Em comunicado, Maurer denunciou que todas as famílias iemenitas foram afetadas pelo conflito entre os rebeldes houthis e as forças leais ao presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi, apoiado pelos bombardeios de uma coalizão árabe.

O principal responsável do CICV, que visitou a capital Sana e a cidade meridional de Áden, insistiu que a população faz frente a “enormes dificuldades”,

Por isso, exigiu que a comunidade internacional “desperte” para solucionar esta crise, na qual morreram cerca de 4 mil pessoas e 1,3 milhão fugiram de seus lares.

“A intensa luta e as restrições à importação estão tendo um impacto dramático no atendimento de saúde”, disse Maurer, que acrescentou que os centros médicos foram atacados, faltam remédios e foram suspensas as campanhas de vacinação.

Segundo sua opinião, o “Iêmen está desmoronando” e é necessário de forma urgente uma livre circulação de mercadorias e facilitar a repartição de alimentos, água e remédios.

O Iêmen está imerso em uma guerra civil entre as forças leais a Hadi e os rebeldes houthis, que levantaram armas em setembro após exigir melhores condições de vida e acusar ao governo de entorpecer o processo político de transição. EFE