Presidente do Panamá garante que ampliação do Canal será concluída

  • Por Agencia EFE
  • 08/01/2014 19h05

Panamá, 8 jan (EFE).- O presidente do Panamá, Ricardo Martinelli, voltou a garantir nesta quarta-feira que a ampliação do Canal do Panamá será concluída, e pediu “ao que o mundo se convença” disso em momentos em que um conflito contratual ameaça paralisar as obras.

“O mundo deve se convencer que vamos terminar a ampliação. Não deve haver dúvida disso na comunidade marítima internacional”, declarou Martinelli em um ato público na capital panamenha.

O governante reafirmou que o ambicioso projeto seguirá adiante enquanto o consórcio Grupo Unidos pelo Canal (GUPC), liderado pela espanhola Sacyr Vallehermoso, e a Autoridade do Canal do Panamá (ACP) iniciaram um diálogo para evitar a suspensão das obras no próximo dia 20.

A ACP foi clara em que o mais conveniente é que o consórcio que iniciou as obras as termine, mas que o contrato prevê mecanismos para que o projeto seja finalizado pela Autoridade sem a participação do contratante original.

O GPCU anunciou que suspenderá a construção do terceiro conjunto de eclusas de embarque do canal a menos que lhe sejam reconhecidas “sobretaxas” de mais de US$ 1,6 bilhões, o que a ACP rejeitou por considerar uma medida de “pressão” que, além disso, não está justificada.

O GUPC e a ACP sentaram ontem pela primeira vez, após o anúncio de suspensão da obras, na busca de uma solução para o conflito que ajude no desembolso de fundos por ambas as partes e sempre dentro do estabelecido no contrato vigente, segundo ressaltou a parte panamenha.

A ACP propôs um desembolso conjunto de até US$ 283 milhões sob certas condições, entre elas que se retire a intenção de suspender as obras, enquanto o GUPC pediu uma antecipação de US$ 400 milhões e se mostrou disposto a fornecer outros US$ 100 milhões.

Até o meio-dia desta quarta-feira, nenhuma das partes voltou a se pronunciar nem informou oficialmente de qualquer novo contato para continuar as conversas. EFE

gf/cdr