Pressa pode ter aumentado em até 10 vezes custo de ciclovias em São Paulo; entenda

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2015 11h53
SÃO PAULO, SP, 23.08.2015: PICHAÇÃO/CICLOVIA - Vândalos picham trecho da Ciclovia onde idoso foi morto por um ciclista. (Foto: Marco Ambrosio/Folhapress)Ciclovia é vandalizada em São Paulo

Os números seguem desfavoráveis para as obras de implantação das ciclovias de São Paulo. Segundo apurou o Tribunal de Contas do Município, a faixa para ciclistas da Avenida Paulista ficou pelo menos R$ 1 milhão mais cara, 13% do valor total. Os dados foram apresentados no jornal Bom Dia SP, da Rede Globo.

A demolição do asfalto, por exemplo, deveria ter custado R$ 113 mil, segundo o TCM, mas ficou por R$ 1 milhão. A demolição do concreto, que poderia ter sido feita com R$ 44 mil, custou R$ 437 mil. E a lavagem de rua, que custaria R$ 28 mil, segundo o órgão, ficou por R$ 474 mil.  

O motivo destes gastos pode ter sido a pressa em entregar as obras. De acordo com o TCM, para a contratação dos serviços, a prefeitura utilizou o metódo de pregão eletrônico, em vez de licitações específicas. Além de não apresentar um projeto de obra. 

“É necessário que a Prefeitura esclareça todos nós sobre todos esses valores absurdos”, diz o comentarista político da Jovem Pan Marco Antonio Villa. “Não é possível uma demolição de asfalto ter custado dez vezes a mais.”

 Na televisão, o secretário municipal de Transportes Jilmar Tatto chamou de “decisão política” os apontamentos do conselheiro do TCM Edison Simões. A afirmação também é rechaçada por Villa: “achar que isso é uma posição política é um grave equívoco”, diz. “A prefeitura vai ter que explicar como ela projetou, planejou e pagou valores muito acima aos de mercado. Cabe ao Jilmar explicar e, principalmente, ao prefeito.”

Para o historiador, as ciclovias serão uma “herança maldita” para a próxima gestão da Prefeitura, a ser eleita em 2016. Ele entende que, em alguns locais, terão que ser suprimidas e, em outros, readequadas.