Primeira-dama do Peru é reconhecida no Rio como líder em prevenção do câncer

  • Por Agencia EFE
  • 27/05/2014 16h15

Rio de Janeiro, 27 mai (EFE).- A primeira-dama do Peru, Nadine Heredia, foi reconhecida nesta terça-feira no Rio de Janeiro como “líder e mobilizadora social” da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) na prevenção e no controle do câncer pela Rede de Institutos Nacionais de Câncer (RINC).

Heredia destacou durante o ato que o reconhecimento é um impulso para ela manter seu compromisso com a causa da prevenção e da detecção precoce do câncer, e expressou à “comunidade sul-americana” que “sempre contará com ela” para avançar nesse campo.

A primeira-dama peruana afirmou que a América Latina tem “experiência, mão de obra e vontade política” para poder melhorar a prevenção e detecção do câncer, atualmente a segunda causa de mortalidade na região.

“Podemos trocar a dor pela esperança”, afirmou em seu discurso.

Além disso, a ativista lembrou os “efeitos de catástrofe econômica” que a doença tem para as famílias afetadas, “especialmente entre as mais pobres”.

Nesse sentido, Heredia destacou a necessidade de implementar políticas públicas como as que se estão levando a cabo no Peru no marco do plano Esperanza que melhora o acesso aos serviços oncológicos e reduz a despesa dos pacientes.

Segundo ressaltou, durante as políticas públicas peruanas o orçamento dedicado à prevenção e tratamento do câncer se quintuplicou, o que há “reduziu a despesa” dos pacientes.

A esposa do presidente Ollanta Humala, também afirmou que “a esperança para as novas gerações” vive no desenvolvimento de uma “nova cultura de prevenção” do câncer que permita aos doentes minimizar a incidência da doença.

Além disso, afirmou que é necessário atuar sobre as causas que provocam o câncer como o tabagismo, a poluição, a falta de exercício e a dieta. EFE

gdl/tr