Primeiro dia de julgamento de Farah Jorge Farah é focado na sanidade mental do réu

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2014 08h42

A sanidade mental  do réu dominou o primeiro dia do julgamento do médico Farah Jorge Farah que matou a amante Maria do Carmo Alves, em 2003. Ele enfrenta o segundo juri porque no primeiro foi desconsiderado um laudo psiquiátrico que considerou o cirurgião plástico semi-imputável.

A acusação procurou derrubar esse argumento da defesa com base em laudo de dois médicos do Conselho Regional de Medicina paulista. Respondendo a Gustavo Aguiar, o promotor André Luiz Bogado enfatizou que o argumento do advogado do réu não supera o relatório do Cremesp.

*Ouça os detalhes no áudio

Já a defesa enfatiza que o laudo do Cremesp limita-se a analisar se Farah Jorge Farah tem condições psíquicas para exercer a medicina. O advogado Odel Antun salienta que o laudo criminológico atenua a consciência do assassino no momento em que matou a amante:

O advogado Odel Antun considerou o primeiro dia de julgamento favorável ao médico Farah Jorge Farah. O juri recomeça hoje por volta de 10h30 com a oitiva de duas testemunhas da acusação e sete da defesa.