Primeiro-ministro da Tunísia anuncia novo executivo composto por tecnocratas

  • Por Agencia EFE
  • 26/01/2014 20h48

Túnis, 26 jan (EFE).- O novo primeiro-ministro da Tunísia, Mehdi Yuma, anunciou neste domingo o governo que deverá dirigir o país até as eleições presidenciais e legislativas, cuja data até agora não foi fixada, marcada pela permanência controvertido ministro do Interior, Lufti Ben Yedu.

Yuma afirmou que sua equipe, com quem já se reuniu esta tarde, “é consciente dos desafios” que o país enfrenta.

A permanência de Ben Yedu, criticada pela oposição, atrasou a apresentação do gabinete, prevista para ontem, sábado.

O governo, com 20 ministros, bem menos que os 32 do executivo anterior, terá também um vice-ministro encarregado da Segurança Nacional, Rida Sfar, que assumirá responsabilidades até agora nas mãos da pasta de Interior.

Fontes da presidência explicaram à Agência Efe que a inclusão deste cargo permitiu fechar posições com a oposição e acelerar a apresentação do governo, que deve ainda ser referendado pela Assembleia Legislativa.

Em outubro as principais forças políticas do país se comprometeram com a formação de um executivo tecnocrata e independente para tentar desbloquear a profunda crise política existente naquele momento entre a oposição e o governo que mantinha a transição democrática bloqueada.

Entre os principais ministros do novo gabinete estão, além de Ben Yedu e Sfar, o ministro da Defesa, Ghazi Yeribi, o ministro das Relações Exteriores, Monyi Hamdi, o de Justiça, Hafez Ben Saleh e o de Economia e Finanças, Hakim Ben Hamuda, todos eles sem filiação política.

O anúncio do executivo aconteceu em meio aos últimos preparativos da Assembleia Nacional Constituinte para submeter a nova Constituição, a primeira da Tunísia democrática, a votação. EFE