Princesa Charlotte com a lembrança de Diana muito presente

  • Por Agencia EFE
  • 05/07/2015 14h28

Javier Ortega

Londres, 5 jul (EFE).- Com a lembrança de Diana muito presente, a princesa Charlotte, filha dos duques de Cambridge, William e Kate, foi batizada neste domingo na capela de Santa Maria Madalena em Sandringham, em uma cerimônia íntima que incluiu a rainha Elizabeth II e um seleto grupo de amigos e familiares.

Charlotte, quarta na linha de sucessão ao trono britânico, chegou à igreja, onde também foi batizada sua falecida avó em 1961, em um carrinho de bebê clássico empurrado por sua mãe, que vestia um conjunto marfim da grife Alexander McQueen e um chapéu de Jane Taylor.

O carrinho “vintage” já foi usado para levar os dois dos filhos da rainha, de 89 anos, quem optou por um casaco e chapéu, ambos cor de rosa, desenhados por Angela Kelly.

Para a alegria dos muitos curiosos que esperavam sua chegada em um domingo ensolarado no gramado em frente à capela, o príncipe William e Kate aparecerem junto com Charlotte e seu irmão mais velho, o príncipe George, de quase dois anos.

Nascida em 2 de maio, a princesa Charlotte recebeu seu primeiro sacramento das mãos do arcebispo de Canterbury e primaz da Igreja da Inglaterra, Justin Welby, em um serviço religioso que durou 45 minutos.

Só 21 pessoas foram convidadas ao batismo da filha do príncipe William e Kate, que elegeram a igreja em Sandringham, sítio do condado inglês de Norfolk onde os duques moram e a rainha Elizabeth II passa os Natais.

Assistiram ao batismo na capela construída no século XVI o avô paterno da princesa, Charles, acompanhado de sua esposa, Camilla; os avós maternos, Michael e Carole Middleton; e os irmãos de Kate, Pippa e James.

O príncipe Harry não participou da cerimônia. Ele está na África, onde trabalhará nos próximos três meses em projetos ambientais e humanitários.

Já dentro da igreja, Charlotte, vestida com vestido de renda e cetim, réplica do usado pela princesa Victoria, filha da rainha Victoria, quando foi batizada em 1841, recebeu a água sagrada do Rio Jordão sobre a chamada “pia batismal de Lis”.

Esta é uma obra de ourivesaria elaborada pelos joalheiros EJ. e W. Barnard em 1840 a pedido da rainha Victoria para o batismo.

A base da histórica pia, um recipiente de prata de 10 quilos e 43 centímetros de altura, é decorada com querubins tocando harpas e com nenúfares e hera, enquanto o alguidar representa uma flor de lis.

O palácio de Kensington, residência oficial dos duques, explicou hoje que a “pia de Lis”, que faz parte da coleção permanente das “Joias da Coroa” guardadas na Torre de Londres, representa “a pureza e a nova vida” e, desde 1841, todos os bebês reais foram batizados nela, exceto a princesa Eugenia.

Houve mais referências durante o dia para Lady Di.

William e Kate escolheram como uma das madrinhas de Charlotte Laura Fellowes, prima de William e filha da irmã mais velha de Diana.

Os outros quatro padrinhos são Sophie Carter e James Meade, amigos dos pais; o primo de Kate, Adam Middleton; e um dos amigos mais próximos de William, Thomas Straubenzee.

Também tem conexão com Diana o fotógrafo eleito para imortalizar o batismo da princesa Charlotte Elizabeth Diana de Cambridge, o peruano Mario Testino, que tirou hoje sua primeira fotografia oficial da rainha Elizabeth II.

Testino de 60 anos e conhecido por suas glamorosas imagens de moda e de famosos, era o fotógrafo favorito da mãe de Diana, e fotografou vários membros da família real, mas nunca a monarca.EFE