Produção industrial recua em 9 das 14 regiões em novembro ante outubro, diz IBGE

  • Por Agência Estado
  • 12/01/2016 12h37
An employee of Ajinomoto Co works on a Hon-Dashi, or bonito base seasoning packaging line at the company's Kawasaki factory in Kawasaki, south of Tokyo, Japan, June 29, 2015. Japanese industrial output fell in May at the fastest pace in three months, adding to fears the economy may have contracted in the current quarter and putting the onus on consumers to drive a near-term rebound as exports remain in the doldrums. REUTERS/Yuya ShinoIndústria

A queda na produção industrial em novembro ante outubro atingiu nove das 14 regiões investigadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A maior delas ocorreu no Espírito Santo (-11,1%), cuja produção de minério de ferro foi afetada pelo acidente ocorrido em Mariana (MG), quando duas barragens da mineradora Samarco se romperam no início de novembro.

Em São Paulo, o maior parque fabril do País, a produção recuou 2,6% na passagem do mês, já descontados os efeitos sazonais. Também registraram quedas maiores do que a média nacional (-2,4%) os estados do Ceará (-4,5%), de Minas Gerais (-4,0%), a região Nordeste (-2,8%) e São Paulo.

Completam o grupo de taxas negativas Amazonas (-2,1%), Bahia (- 2,0%), Paraná (-1,3%) e Goiás (-0,9%). Por outro lado, Pernambuco (3,5%) mostrou o avanço mais intenso no mês. Os demais resultados positivos foram registrados por Pará (1,9%), Santa Catarina (1,8%), Rio de Janeiro (1,2%) e Rio Grande do Sul (1,1%).

Na comparação com novembro de 2014, a indústria recuou em 13 dos 15 locais investigados. Os recuos mais intensos ocorreram em Amazonas (-19,9%), Espírito Santo (-19,8%) e Paraná (-16,7%). Em São Paulo, a queda chegou a 13,3%.

Bahia (-13,3%) e Rio Grande do Sul (-13,0%) também apontaram resultados negativos mais acentuados do que a média nacional (-12,4%), enquanto Minas Gerais (-12,0%), Ceará (-10,7%), Rio de Janeiro (- 10,1%), Goiás (-9,4%), região Nordeste (-6,9%), Santa Catarina (-4,8%) e Pernambuco (- 1,0%) completaram o conjunto de locais com taxas negativas em novembro ante igual mês de 2014.

Por outro lado, Mato Grosso (5,9%) e Pará (5,5%) assinalaram os avanços na mesma base comparativa.