Projetos complexos no PPI terão prazo de 6 meses a 1 ano entre edital e leilão

  • Por Estadão Conteúdo
  • 05/12/2016 14h10
11/09/15- Piauí- Brasil- Nesta sexta-feira (11), a presidenta Dilma Rousseff vai até Paulistana, no interior do estado do Piauí, para visitar as obras da Ferrovia Transnordestina. O trecho da obra compreendido entre os municípios de Eliseu Martins (PI) e Trindade (PE), e que passa por Paulistana, possui 423 quilômetros de extensão e já atingiu quase 50% de obras executadas.Ferrovia Transnordestina - obras

Os projetos mais complexos a serem concedidos e privatizados no âmbito do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) terão prazo de seis meses a um ano entre a divulgação do edital e a realização do leilão, afirmou nesta segunda-feira (5), o secretário de Articulação, Investimentos e Parcerias do programa, Marcelo Allain. 

A definição de prazos maiores entre o lançamento dos editais e os leilões foi uma das primeiras diretrizes anunciadas pelo secretário-executivo do PPI, Moreira Franco. Os editais de quatro aeroportos a serem concedidos (Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis), lançados semana passada, preveem prazo de 100 dias até o leilão, em março. 

Segundo Allain, nos programas de concessões anteriores, havia casos de prazos de 30 a 45 dias.

Agora, para projetos mais complexos, como os de campos de petróleo e gás, sobretudo os do pré-sal, e para concessões de trechos de ferrovias que tenham de ser construídos do zero (“greenfield”), o prazo poderá chegar a um ano.

“Nesses casos, é preciso contratar empresas especializadas para avaliar os ativos”, disse Allain, após participar de seminário na Associação Comercial do Rio. O próximo projeto incluído nas prioridades do PPI, anunciadas em setembro, a ter o edital lançado será o terminal portuário de trigo, no Rio.