Pronto para receber papa, Equador espera que visita reduza tensões no país

  • Por Agencia EFE
  • 04/07/2015 20h05

Quito, 4 jul (EFE).- O presidente do Equador, Rafael Correa, disse neste sábado que o país está pronto para receber amanhã o papa Francisco, uma visita com a qual o líder espera reduzir as tensões vividas pelo país pelas manifestações contra e a favor do governo.

“A parte material, física, está pronta. Tomara que todos também nos preparemos espiritualmente para receber Sua Santidade”, disse Correa em seu relatório semanal.

O papa chegará na tarde de domingo à capital Quito e, na segunda-feira, viaja a Guayaquil, onde visitará o santuário da Divina Misericórdia, realizará uma missa campal no parque Samanes e almoçará com os jesuítas no Colégio Javier.

Francisco voltará no mesmo dia a Quito e percorrerá o centro histórico da capital. Depois, será recebido por Correa no palácio de Carondelet, sede do Executivo, visitando na sequência à Catedral Metropolitana.

Já na terça-feira, o papa se reunirá com bispos, celebrará uma grande missa no parque bicentenário – onde antes funcionava o aeroporto internacional de Quito -, terá um encontro com representantes de setores da educação em uma universidade local e se reunirá com a sociedade civil na igreja San Francisco.

Ainda na terça, visitará à noite da Igreja da Companhia, da ordem dos jesuítas, situada a poucos metros de San Francisco, no centro histórico de Quito, declarado em 1978 como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (Unesco).

Na quarta-feira, o pontífice irá ao Asilo das Irmãs da Caridade e depois se deslocará ao santuário do Quinche, onde realizará um encontro com o clero, religiosos e seminaristas. Ao meio-dia, Francisco deixa o Equador rumo à Bolívia.

Correa expressou hoje a esperança de que a visita reduza as tensões nas últimas semanas no Equador, onde vários protestos foram organizados contra e a favor da pretensão do governo, suspensa por enquanto, de elevar os impostos sobre as heranças.

Enquanto se acertam os últimos detalhes para a chegada de Francisco, o Ministério de Coordenação da Segurança alertou hoje através do Twitter sobre a suposta venda de ingressos para eventos que serão realizados pelo papa.

“Lembramos que não há venda de ingressos para as missas campais. A entrada é gratuita. Não se deixem enganar”, escreveu o órgão, reproduzindo imagens dos falsos bilhetes, que estão sendo comercializados por até US$ 70.

A visita do papa mobilizará milhares de cidadãos. Por isso, as autoridades iniciaram uma operação viária com restrição da circulação de veículos particulares nos arredores dos locais que serão visitados pelo pontífice.

As ruas de Quito estão tomadas por cartazes com imagens religiosas em homenagem à chegada de Francisco, primeiro papa que visita o Equador após João Paulo II, que esteve no país em 1985. EFE

sm/lvl