Protestos contra tragédia em mina terminam em confrontos na Turquia

  • Por Agencia EFE
  • 14/05/2014 15h55

Istambul, 14 mai (EFE).- Uma manifestação sindical em protesto pelo acidente em uma mina da Turquia que matou pelo menos 245 mineiros, enquanto outros 120 continuam desaparecidos, terminou nesta quarta-feira em confronto com a polícia em Istambul.

Vários dos maiores sindicatos do país se encontraram na rua Istiklal para ler um manifesto contra a privatização da indústria mineradora e as terceirizadas, em sua opinião, responsáveis pelo acidente.

Uma multidão de milhares de pessoas, segundo afirmaram testemunhas à Agência Efe, começou uma marcha rumo à praça Taksim, mas foi bloqueada por unidades da polícia antidistúrbios, que atacou com canhões de água, gás lacrimogêneo e balas de plástico.

Horas antes, na capital Ancara, ocorreram enfrentamentos similares e estão sendo registrados protestos em uma dezena de outras cidades, entre elas Esmirna, onde também houve uma intervenção policial, segundo informaram à Efe testemunhas no local.

Em Ancara, milhares de pessoas se reuniram na praça de Kizilay e dali pretendiam dirigir-se ao Parlamento, mas a passeata foi interrompida pela polícia.

Em comunicado lido em Istambul, vários sindicatos anunciaram uma greve geral na quinta-feira e pediram a todos os cidadãos para mostrarem sua adesão utilizando roupas ou bandeiras pretas.

Na cidade onde aconteceu o acidente, Soma, também aconteceu um protesto de moradores e familiares das vítimas contra o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, que chegou ali para seguir os trabalhos de resgate.

Quando o primeiro-ministro tentou falar perante dezenas de pessoas reunidas contra a prefeitura, a multidão pediu a gritos sua renúncia e o ambiente ficou tenso.

Os guarda-costas de Erdogan tiveram que buscar refúgio para o primeiro-ministro em um supermercado próximo até que os protestos terminaram. EFE