Putin reaparece após dez dias de ausência

  • Por EFE
  • 16/03/2015 09h51

Líder russo se reuniu hoje com o presidente do QuirguistãoPutin reaparece

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, reapareceu nesta segunda-feira (16) após 10 dias de ausência que despertaram rumores sobre supostos problemas de saúde que estaria sofrendo, negados categoricamente pelo Kremlin.

“Sem fofoca seria tedioso”, disse hoje Putin antes de se reunir com o presidente do Quirguistão, Almazbek Atambaev, no Palácio de Constantino, em São Petersburgo, considerada a residência de verão do chefe do Kremlin.

O líder russo, de 62 anos, não aparecia em público desde a entrevista coletiva de 5 de março com o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi.

“Putin acaba de me levar para um passeio pelo recinto. Ele mesmo ia ao volante. Isto para que não haja fofoca”, disse Atambaev.

O líder do país centro-asiático acrescentou: “como dizem em russo, que esperem sentados”.

No entanto, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, não conseguiu afastar totalmente as especulações sobre o estado de Putin, pois anunciou que o presidente não viajará para a Crimeia por ocasião do aniversário nesta quarta-feira da anexação da península.

Nos últimos dez dias os russos puderam ver o chefe do Kremlin em apenas uma ocasião, durante reunião com o presidente do Supremo Tribunal, Viacheslav Lebedev, em imagens exibidas pela televisão pública.

Segundo o Kremlin, está previsto que o líder russo assine nesta quarta-feira durante uma cerimônia oficial um acordo de integração com a região separatista da Ossétia do Sul.

Os rumores sobre a saúde de Putin aumentaram depois que o Kremlin anunciou o repentino cancelamento da visita do presidente na quinta-feira passada ao Cazaquistão.

“O presidente se encontra bem”, respondeu Peskov, que negou dessa forma as informações da imprensa internacional de que o chefe do Kremlin estaria doente.

O canal opositor Dozhd informou no fim de semana que Putin tinha contraído uma gripe, motivo pelo qual não se encontraria em Moscou, o que Kremlin não foi negado pelo Kremlin.

Alguns meios de comunicação disseram até que Putin teria câncer de próstata, de medula espinhal ou de pâncreas, e inclusive vincularam a doença a sua decisão de anexar a Crimeia e intervir na vizinha Ucrânia.

O Kremlin só reconhece que Putin tem lesões esportivas, declarações que levaram à imprensa russa a afirmar que a saúde do presidente tinha deixado de ser segredo de Estado.