Pyongyang se nega a retomar reuniões de famílias separadas pela guerra

  • Por Agencia EFE
  • 09/01/2014 07h05

Seul, 9 jan (EFE).- A Coreia do Norte rejeitou nesta quinta-feira a proposta da Coreia do Sul de organizar para o final deste mês uma nova reunião de famílias separadas pela Guerra da Coreia (1950-53), informou o Ministério da Unificação de Seul.

O regime comunista de Kim Jong-un determinou que as reuniões poderão acontecer quando for “o momento adequado”, sem oferecer uma data específica, informou a agência sul-coreana “Yonhap”.

Na última segunda-feira, Seul propôs oficialmente a Pyongyang a realização de um próximo encontro de famílias separadas, aproveitando o Ano Novo Lunar, uma das maiores festividades dos coreanos, que este ano será no dia 31 de janeiro.

O pedido aconteceu meses depois que, em outubro do ano passado, as duas partes protagonizaram a última tentativa fracassada de recuperar esses eventos humanitários, que não são realizados desde 2010.

As duas Coreias organizaram seu primeiro evento de reunificação de famílias em 1985, mas as habitualmente tensas relações bilaterais impediram uma periodicidade nos encontros.

Após um parêntese de 15 anos, entre 2000 e 2010 foram feitas 18 reuniões que permitiram um breve encontro de mais de 3,8 mil familiares após décadas de separação. EFE