Quase 1,4 milhão de crianças estão em “risco iminente de morte”, diz Unicef

  • Por Estadão Conteúdo
  • 21/02/2017 11h08
YEM01 SANÁ (YEMEN) 28/11/2016.- Niños permanecen a las afueras de un refugio improvisado, en un campo para desplazados interinos (IDP) en Saná, Yemen, hoy, 28 de noviembre de 2016. De acuerdo con las cifras de la Unión Europea, el conflicto entre los rebeldes hutíes y la coalición liderada por Arabia Saudí, ha dejado más de 700 muertes, cerca de 37.000 heridos y casi tres millones de desplazados. EFE/Yahya ArhabCrianças refugiados em lugar improvisado de Saná

A Unicef, agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para a infância, disse nesta terça-feira que quase 1,4 milhão de crianças estão em “risco iminente de morte”, uma vez que a fome ameaça partes do sul do Sudão, da Nigéria, da Somália e do Iêmen

O anúncio da Unicef ocorre um dia depois de a fome ter sido declarada em partes do Sudão do Sul, onde a guerra civil tem levado a uma inflação severa, tornando a comida inacessível para muitos. 

A Unicef, há meses, alertou sobre a desnutrição grave no nordeste Nigéria, especialmente em áreas que têm sido largamente inacessíveis por causa do grupo extremista islâmico Boko Haram. A agência disse que cerca de 500 mil crianças devem enfrentar a desnutrição severa este ano em Borno, Yobi e Adamawa.

A agência disse ainda que a Somália também enfrenta a seca e em meio ao conflito do Iêmen, quase meio milhão de crianças têm “desnutrição aguda grave”.