Queda de avião em rio de Taiwan deixa 25 mortos e 18 desaparecidos

  • Por Agencia EFE
  • 04/02/2015 15h09

(Atualiza com número de vítimas e informações).

Francisco Luis Pérez.

Taipé, 4 fev (EFE).- O acidente com um avião da companhia taiuanesa TransAsia nesta quarta-feira em Taipé (Taiwan) deixou 25 mortos, 15 feridos e 18 desaparecidos, informou a empresa.

Equipes de salvamento estão no rio Jilong, onde a aeronave caiu, buscando localizar os desaparecidos. A maior parte da fuselagem do aparelho já foi retirada e resgatados os últimos corpos do interior do avião.

Por isso, a busca pelos desaparecidos se focará no rio Jilong, embora haja poucas esperanças de encontrá-los com vida.

O avião -com 58 pessoas a bordo, entre elas cinco tripulantes e dois menores de idade- caiu no rio após perder altura por causas desconhecidas e atingir um viaduto, poucos minutos após decolar com direção à ilha de Kinmen, a poucos quilômetros do litoral chinês.

A Administração de Aviação Civil de Taiwan proibiu a TransAsia de realizar voos com aeronaves do mesmo tipo da acidentada hoje. A companhia aérea começou a revisar os motores de todos seus modelos ATR, disse o presidente da companhia, Chen Xingde, em entrevista coletiva.

A tragédia ocorreu por volta das 11h locais (1h de Brasília). As operações de salvamento contam com a participação de mil pessoas, entre civis e militares, assim como várias lanchas, balsas e helicópteros

As autoridades acreditam que os desaparecidos podem ter sido arrastados pela corrente, pois foram encontrados restos de bagagem a até um quilômetro de distância do lugar do acidente, disse o diretor interino do Corpo de Bombeiros de Taipé, Wu Chun-hung.

“Alguns passageiros foram lançados do avião com seus assentos. Estamos buscando no rio porque alguns foram arrastados pela corrente e esperamos achar sobreviventes”, explicou Wu.

As duas caixas-pretas -com o registro de dados de voo e a gravação de voz da cabina- foram recuperadas após a maré descer e serão analisadas para estabelecer as causas do acidente, afirmou a Administração de Aviação Civil da ilha.

Até o momento, não se sabe os motivos do acidente, ocorrido em uma zona urbana, sob condições meteorológicas favoráveis, com um avião fabricado há menos de um ano e um piloto com mais de 4.900 horas de voo.

O piloto fez três chamadas de socorro para a torre de controle do aeroporto Songshan. O avião, ao invés de girar imediatamente para a direção sul após decolar, voou em linha reta e perdeu altura até atingir o elevado e raspar em um táxi, e em seguida cair no rio.

Em sua queda -gravada e fotografada de carros que circulavam pelo viaduto-, a asa esquerda do avião bateu no táxi antes de mergulhar na água.

O motorista e uma passageira ficaram feridos e foram levados para um hospital próximo, mas estão fora de perigo.

“Desmaiei quando nos acertou”, declarou o motorista ao jornal “Apple Daily”.

Segundo testemunhas, o piloto tentou recuperar altitude antes do choque do avião com o viaduto. O rio Jilong fica a apenas cinco quilômetros da pista de decolagem.

O avião, um bimotor turboélice ATR-72 de fabricação franco-italiana, tinha menos de um ano e havia passado por sua última revisão no dia 26 de janeiro, segundo a Aviação Civil Aeronáutica.

A fabricante do aparelho lamentou o acidente com uma de suas aeronaves expressou suas condolências aos familiares das vítimas.

Trata-se do segundo acidente envolvendo essa companhia aérea taiuanesa em menos de um ano, depois que 48 pessoas morreram em julho do ano passado na queda de um avião do mesmo modelo.

Na ocasião, a aeronave se acidentou quando precisou realizar um pouso de emergência nas ilhas Penghu por causa das más condições atmosféricas devido à passagem do tufão Matmo. EFE

flp-tg/dk