Rapaz é diagnosticado com sarampo em SP e secretário da Saúde descarta surto

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2015 16h19
SÃO PAULO, SP, 25.09.2015: CAMPANHA-SP - Campanha de vacinação gratuita contra sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral), promovida pela Secretaria da Saúde do Municipio de São Paulo, no Conjunto Nacional, em São Paulo. Nos dias 24 e 25 de setembro, das 9 às 15 horas, serão atendidas pessoas de 6 meses a 55 anos de idade. (Foto: Marcelo D. Sants/Frame /Folhapress) Folhapress Vacinação

Um rapaz foi diagnosticado com sarampo na região do Conjunto Nacional em São Paulo e Secretaria da Saúde se mobiliza para conter novos casos e um possível surto. O homem passa bem e não precisou ser internado no hospital Emílio Ribas que detectou o vírus morbili, transmitido pelas vias respiratórias.

O sarampo é uma doença altamente contagiosa e de caráter epidêmico. Por ser um caso autóctone, ou seja, quando a doença é originária do próprio município, a preocupação da Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal Saúde de São Paulo) é maior.

Após a confirmação da doença, familiares do jovem receberam medicação e a Secretaria realiza um bloqueio entre os milhares de usuários do Conjunto Nacional. Na Avenida Paulista, um posto volante da Secretaria da Saúde, em uma operação com 50 servidores, procura imunizar quem não tomou a vacina.

O secretário da Saúde, Alexandre Padilha explica quais são os sintomas do sarampo, os quais a população deve ficar atenta. “Sarampo começa com um quadro de febre. Muito comum a pessoa ter sinais como se fosse uma gripe e depois lesões na pele, que são bastante características. Este caso, por exemplo, existia a suspeita de rubéola ou sarampo. O exame confirmou o sarampo. A única contraindicação [da vacina] são para mulheres em idade fértil, porque a vacina de sarampo vem junto com a de rubéola e mulheres grávidas não devem tomar esta vacina”.

Padilha ressalta ainda que as situações de epidemia de sarampo são controladas há muitos anos, mas que se continua tendo casos de surto, sobretudo de pessoas que viajam para outros países. E ele completa: “nesse caso, não se tem um surto. Tem um caso confirmado”.

O sarampo é uma doença grave porque provoca uma inflamação generalizada dos vasos sanguíneos. Por isso a preocupação relatada pelo secretário. “Isso reforça a importância para a população de checar se está com a vacinação em dia. É uma vacina oferecida gratuitamente nas unidades de saúde. São recomendados para tomarem a vacina todas as pessoas que nasceram depois de 1960, porque até esta época, sarampo era doença de criança. Quando a pessoa tem sarampo uma vez, ela fica imune a vida toda.

Quem passou pelo Conjunto Nacional nesta sexta-feira (25) se surpreendeu com a vacinação “em massa” ao público adulto contra a doença.

A advogada Bruna Bueno se disse surpresa. “Acho que as pessoas ficaram mais surpresas que preocupados, não sei se por causa da falta de informação da doença ou se faz muito tempo que não se tem caso. Está todo mundo muito surpreso. O que eu ouvi na fila [para vacinação] e em outros lugares que passei, foi a lenda de que quem pega sarampo uma vez não pega novamente, mas acho que o pessoal está deixando isso de lado e está tomando a vacina mesmo assim”.

Caso haja a necessidade, a equipe volante da Covisa retornará na próxima segunda-feira (28) ao Conjunto Nacional neste bloqueio contra o sarampo.

*Informações da repórter Renata Perobelli