Recuo do ministro Planejamento não é bem digerido por empresários

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2015 08h26

O recuo do ministro do Planejamento na questão do salário mínimo por ingerência da presidente da República não é bem digerido por empresários. Nelson Barbosa anunciou mudanças nas regras dos aumentos e foi  desautorizado por Dilma.

Para o presidente da Abinee , as interferências do Planalto nas diretrtrizes da equipe econômica são prejudiciais ao país. Em entrevista ao repórter Daniel Lian, Humberto Barbato salientou que essas atitudes de Dilma Rousseff podem repercutir mal internacionalmente.

*Ouça os detalhes no áudio

O presidente executivo da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamento espera mais autonomia para a equipe econômica. Para José Velloso, foi uma esfregadela aceitável num período de transição no governo.

O empresariado se mostra ressabiado com a atitude de Dilma e espera que situação semelhante passe longe do Ministério da Fazenda. Muitos líderes enfatizam que a economia brasileira entrou em sérias dificuldades com as ingerências de Dilma Rousseff nessa área.