Recusa a permitir casamento a gays gera protestos pró e contra lei no Texas

  • Por Agencia EFE
  • 02/07/2015 23h06

Austin (EUA), 2 jul (EFE).- Partidários e opositores do casamento homossexual se manifestaram nesta quinta-feira na pequena cidade de Granbury, no estado do Texas (EUA), em resposta à decisão de sua secretária do condado de Hood de não emitir licenças de casamento a casais do mesmo sexo, apesar da decisão favorável da Suprema Corte.

Em mais de 50 condados do Texas, seus secretários, os encarregados de expedir as licenças, ainda negavam hoje o casamento a gays, amparando-se em motivos religiosos.

Katie Lang, secretária do condado de Hood, foi das mais efusivas em rejeitar nesta semana as uniões de casais do mesmo sexo ao argumentar que “o casamento é para um homem e uma mulher, porque assim o diz a Bíblia”.

Embora Lang já tenha ordenado a alguns de seus subordinados que expeçam eles mesmos as licenças devido à ameaça de multas e processos, partidários e opositores do casamento homossexual participaram hoje de protestos em frente aos tribunais que ela administra.

Cerca de cem pessoas se reuniram sob o lema “protejamos a liberdade religiosa” em apoio à secretária do condado, cuja decisão está amparada pelo procurador-geral do Texas, o conservador Ken Paxton, que cobrou que seus funcionários desobedeçam ao Supremo se sua consciência assim o mandar.

Por outro lado, 50 pessoas que usavam palavras de ordem como “amor, e não ódio” ou “os opostos nem sempre se atraem” mostraram sua inconformidade com Lang e avisaram que vão apresentar um processo contra ela se não emitir pessoalmente as licenças.

O caso do Texas não é único. Em outros estados do sul dos Estados Unidos, como Mississipi, Louisiana e Alabama também há funcionários que se negam a aplicar a decisão da Suprema Corte, que na sexta-feira passada legalizou o casamento homossexual em todo o país.

No Alabama, um juiz federal exigiu hoje aos condados que ainda rejeitam a resolução do Supremo – cinco – para que a apliquem.

O Tribunal de Apelações do Quinto Circuito de Nova Orleans, por sua vez, ordenou aos estados de Mississipi, Louisiana e Texas, sobre os quais tem jurisdição, para que suspendam os vetos sobre os casamentos de casais do mesmo sexo e apliquem a decisão. EFE