Reforma educacional é avanço ou vai precarizar ainda mais o ensino?

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2016 11h25
Sala de Aula

A medida provisória que prevê a reforma do Ensino Médio divide a opinião dos especialistas em educação. De um lado, entidades que trabalham no setor e que apoiam a mudança dizem que a evasão precisa ser combatida. Do outro lado, profissionais que estudam os dados da educação no país apontam para a precoce escolha de uma área de formação.

No programa Os Dois Lados da Moeda desta segunda-feira (26), a repórter Hellen Braun mediou o debate entre o diretor Institucional do Conselho Nacional de Secretários de Educação, Antônio Neto e a superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, Anna Helena Altenfelder.

Anna Helena Altenfelder demonstrou grande preocupação com o ensino médio e os enormes desafios que existem. “A ideia da flexibilização parece interessante, porém, até mesmo por reconhecer o enorme desafio que temos, tem alguns pontos que nos causam preocupação e que devem ser ponto de discussão”, disse.

Entre as preocupações está o fato de que o projeto foi via medida provisória. Em segundo lugar, a superintendente disse que toda e qualquer política educacional deve ter preocupação grande em diminuir a grande exclusão do sistema educacional.

Já Antônio Neto acrescentou ao debate que tem uma visão um pouco diferente do processo como um todo. A MP, segundo ele, cria um elemento dificultador, do ponto de vista de como seria a amplitude do debate.

“Conteúdo da Medida Provisória foi objeto de ampla discussão entre secretários de Educação, dentro da Câmara dos Deputados e nós conseguimos contribuir dentro do Consed”, ponderou o diretor. “Houve um certo aprofundamento”, defendeu.

Confira o debate completo entre o diretor Institucional do Conselho Nacional de Secretários de Educação, Antônio Neto e a superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, Anna Helena Altenfelder: