Reino Unido diz que Escócia não poderá conservar libra caso se separe

  • Por Agencia EFE
  • 13/02/2014 09h22

Londres, 13 fev (EFE).- O ministro das Finanças do Reino Unido, o conservador George Osborne, disse nesta quinta-feira que a Escócia não poderá conservar a libra esterlina se conseguir sua independência após o plebiscito que será realizado em 18 de setembro.

“Se a Escócia se retirar do Reino Unido, se retirará da libra”, afirmou Osborne em Edimburgo, após o governo autônomo escocês, do nacionalista Alex Salmond, prometer manter a moeda britânica em uma eventual independência.

Os outros dois maiores partidos britânicos, o Trabalhista e o liberal-democrata, devem se pronunciar hoje contra a Escócia manter a libra em caso de independência.

“A libra não é um ativo para ser dividido entre dois países após uma separação como uma coleção de discos”, afirmou Osborne, para quem a Escócia ficará melhor economicamente se permanecer unida à Inglaterra, País Gales e Irlanda do Norte.

“O Reino Unido está crescendo mais rápido que qualquer outra economia avançada da Europa. Nada pode ser mais prejudicial para a segurança econômica aqui na Escócia do que dividir o nosso Reino Unido”, acrescentou.

Espera-se que o ministro do Tesouro, o liberal-democrata Danny Alexander, e o porta-voz trabalhista de Economia, Ed Balls, também afirmem nesta quinta-feira que não aceitarão a união monetária da libra em caso de independência.

Segundo a imprensa britânica, as advertências evidenciam que a campanha a favor da união se intensificou depois que as últimas pesquisas mostraram um avanço da causa independentista.

Uma enquete feita pelo instituto IC revelou que a intenção de voto a favor da independência subiu cinco pontos, de 32% para 37%, enquanto a tendência do não caiu de 49% para 44%. EFE