Reis da Espanha começam amanhã sua primeira viagem oficial aos EUA

  • Por Agencia EFE
  • 14/09/2015 23h01

Washington, 14 set (EFE).- O rei Felipe VI e a rainha Letizia começam amanhã sua primeira viagem oficial como reis da Espanha aos Estados Unidos, uma visita de quatro dias nos quais – entre outros atos – se reunirão com o presidente, Barack Obama, e sua esposa, Michelle.

Os reis, que chegam nesta segunda-feira à Base Andrews da força aérea americana em Maryland, perto de Washington, serão recebidos amanhã pelos Obama na Casa Branca.

O presidente se reunirá com o rei no Salão Oval, após um primeiro encontro em Nova York no ano passado, por ocasião do discurso de Felipe VI na Assembleia Geral da ONU, no qual ambos repassaram as “excelentes” relações bilaterais em um ambiente de “boa sintonia” pessoal.

A primeira-dama, por sua parte, oferecerá um chá à rainha, que justamente nesta terça-feira comemorará seu 43º aniversário.

Michelle Obama também mostrará a Letizia a horta orgânica que instalou assim que chegou à Casa Branca em 2009, como defensora da alimentação saudável, um interesse compartilhado pela rainha, embaixadora especial para a Nutrição da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

A presença dos reis nos Estados Unidos “reforça os laços fortes e duráveis entre os povos americano e espanhol”, segundo destacou na sexta-feira passada o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, durante sua entrevista coletiva diária.

Antes de comparecer à Casa Branca, Felipe VI e Letizia, que viajam acompanhados – entre outras personalidades – pelo ministro de Relações Exteriores, José Manuel García Margallo, visitarão Mount Vernon, a histórica residência do primeiro presidente dos EUA, George Washington, no estado vizinho da Virgínia.

Ali, os reis depositarão uma coroa de flores no panteão de George Washington, onde estão os sarcófagos do presidente e sua esposa, Martha, além dos restos de outros familiares.

Depois de se reunir com os Obama, Felipe VI e Letizia se deslocarão ao Capitólio, sede do Congresso americano, onde terão uma reunião com a Comissão de Relações Exteriores do Senado.

O primeiro dia da agenda real terminará com uma recepção a uma representação de cidadãos espanhóis residentes em Washington na residência do embaixador da Espanha nos Estados Unidos.

Já na quarta-feira e nesse mesmo local, o rei participará de um café da manhã com empresários no qual não estará a rainha, que fará uma visita aos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH), a agência de pesquisa médica do país.

Concluído o café da manhã, Felipe VI presidirá um seminário sobre as relações transatlânticas organizado pelo Wilson Center e pelo Real Instituto Elcano.

No NIH, Letizia, presidente de honra da Associação Espanhola contra o Câncer (AECC) há cinco anos, visitará os laboratórios de pesquisa da unidade pediátrica de luta contra o câncer.

Pela tarde, o rei, já em companhia da rainha, liderará o Primeiro Encontro de Cientistas Espanhóis nos Estados Unidos na Universidade de Georgetown (onde o monarca cursou um mestrado em Relações Internacionais entre 1993 e 1995).

Na quinta-feira, os reis deixarão Washington e viajarão para Miami (Flórida), onde Felipe VI pronunciará a conferência inaugural do novo curso do Miami Dade College, após receber a medalha presidencial desta instituição.

Acompanhado pela rainha, o chefe de Estado espanhol irá ao Teatro Olympia, que ambos visitaram como príncipes em 2013, para presidir a apresentação do Festival de Cinema Espanhol.

No dia seguinte, na sexta-feira, os reis voarão a San Agustín, também na Flórida, por ocasião do 450º aniversário dessa cidade como assentamento europeu mais antigo dos Estados Unidos.

A cidade foi fundada pelo almirante espanhol Pedro Menéndez de Avilês em setembro de 1565.

A entrega do Prêmio Bernardo de Gálvez – que leva o nome do herói militar espanhol que contribuiu à independência dos Estados Unidos – ao presidente da Ford, Mark Fields, precederá à última atividade desta visita: o jantar inaugural do Fórum Espanha-EUA.

Trata-se da principal reunião anual das sociedades civis de ambos países, que contará com diretores empresariais espanhóis e personalidades americanas, perante os quais o rei pronunciará o último discurso de sua viagem aos EUA. EFE