Risco de avalanche após terremoto faz 6 mil tibetanos deixarem suas casas

  • Por Agencia EFE
  • 30/04/2015 01h32

Pequim, 30 abr (EFE).- As autoridades chinesas começaram a evacuar 6 mil habitantes da pequena cidade de Zham, na fronteira com o Nepal, por causa do risco de avalanches após o terremoto que sacudiu o país vizinho no último sábado, informou nesta quinta-feira a agência oficial “Xinhua”.

O tremor de magnitude 7,8 causou mais de 5 mil mortes e deixou cerca de 11 mil feridos no Nepal, de acordo com o último balanço oficial, enquanto no Tibete as autoridades mantêm em 25 o número de vítimas fatais, mas aumentam os feridos e os relatos de danos materiais a cada novo levantamento.

Segundo as últimas informações divulgadas pela “Xinhua” nesta madrugada, 797 pessoas ficaram feridas após o terremoto no Tibete, mais do que o dobro publicado ontem, quando eram 383 os feridos pela catástrofe.

Além disso, quase 52,5 mil moradores estão desabrigados depois do tremor, que derrubou 2.500 casas e danificou outras 26 mil, assim como 85 templos tibetanos.

As autoridades calculam que 300 mil pessoas foram afetadas pelo terremoto nesta região autônoma da China, que abrange toda a fronteira do país com o Nepal.

Entre os lugares mais prejudicados com o terremoto está a cidade de Zham, que permaneceu isolada de sábado até terça-feira. Os moradores começaram a deixar o local ontem.

Cerca de 2 mil pessoas já foram levadas a acampamentos provisórios montados em cidades vizinhas. As autoridades estimam que eles podem ter que ficar um ano longe de suas casas até a reparação completa dos danos causados pelo sismo, indicou a “Xinhua”.

No momento do terremoto, vários turistas estrangeiros estavam em Zham, já que a cidade é um importante ponto na fronteira entre a China e o Nepal. EFE