Rússia cortará despesas públicas em 10% para enfrentar crise

  • Por Agência Brasil
  • 28/01/2015 14h29

Apesar do discurso oficial de indiferença em relação às punições do G-7Vladimir Putin

O governo da Rússia apresentou hoje (28) um plano para fazer frente à crise que prevê um corte de 10% nos gastos públicos na maioria das rubricas do orçamento e uma redução anual de 5% para o triênio 2016-2018.

No documento, publicado no portal do Executivo russo, informa que os cortes orçamentais não afetarão os programas sociais, os gastos na pasta da Defesa, as subvenções à agricultura nem as obrigações internacionais da Rússia.

“É necessário alcançar um equilíbrio do sistema orçamentário para 2017 de acordo com o nível estimado dos preços dos principais produtos de exportação russos”, prevê o plano governamental.

Moscou considera que a estabilização paulatina das matérias-primas nos mercados internacionais e os passos dados pelo Banco Central da Rússia vão permitir “normalizar a situação no mercado de divisas e criar condições para uma significativa diminuição das taxas de juros”.

No último ano, devido à queda dos preços do petróleo e às sanções econômicas impostas à Rússia por causa da crise na Ucrânia, a moeda do país desvalorizou mais de 50% frente ao dólar. Para travar a depreciação do rublo, o Banco Central russo elevou, em dezembro último, a taxa de juros de 10,5% para 17%.

O presidente Vladimir Putin frisou, em dezembro de 2014, que a economia russa sairá da atual crise econômica. Ele atribui a situação a fatores externos como a queda dos preços do petróleo, no pior dos cenários, mantendo-se nos próximos dois anos.