Rússia lamenta sanções da UE por anexação da Crimeia e pede diálogo

  • Por Agencia EFE
  • 22/03/2014 10h03

Moscou, 22 mar (EFE).- A Rússia lamentou neste sábado as novas sanções adotadas pela União Europeia em represália pela anexação da Crimeia, promulgada ontem pelo presidente Vladimir Putin, e se reservou o direito de responder a Bruxelas com reciprocidade.

“É uma pena que o Conselho Europeu tenha tomado uma decisão fora da realidade. Acreditamos que é hora de voltar ao campo pragmático da cooperação que responde aos interesses de nossos países”, disse hoje o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Aleksandr Lukashevich.

O porta-voz também afirmou que, apesar de sua vontade de diálogo, “a parte russa se reserva o direito de dar uma resposta adequada à medida tomada” por Bruxelas.

Os países membros da UE ampliaram para 33 o número de cidadãos russos e ucranianos sancionados pela anexação da Crimeia à Rússia, e pediram que sejam preparadas medidas de cunho econômico se Moscou mantiver seu avanço em território ucraniano além da península.

O Kremlin, após a promulgação da incorporação da Crimeia e de Sebastopol à Rússia, dá por encerrado este processo apesar das críticas da comunidade internacional e dos protestos da Ucrânia, que tacham de anexação a união da península à federação russa. EFE