Rússia pede que UE não obrigue ex-soviéticos a escolher entre país e Ocidente

  • Por Agencia EFE
  • 22/05/2015 10h44

Moscou, 22 mai (EFE).- A Rússia pediu nesta sexta-feira à União Europeia (UE) que não obrigue os seis países ex-soviéticos que integram a Associação Oriental a escolher entre Rússia e Ocidente na cúpula realizada em Riga.

“A Rússia está convencida que um projeto como esse só pode resultar frutífero caso os países não sejam obrigados a escolher entre o Ocidente ou a Rússia”, disse Sergei Ryabkov, vice-ministrodas Relações Exteriores, à imprensa local.

O diplomata considera que os países ocidentais “perderam o sentido da realidade” no que se refere à segurança europeia, e acredita que o retorno à normalidade requer tempo.

“Veremos os resultados desta cúpula e avaliaremos se esse processo (de normalização) começou ou se será mantida a atual visão”, acrescentou.

Enquanto isso, Konstantin Kosachev, chefe do comitê de Assuntos Internacionais do Senado russo, se mostrou “pessimista” sobre os resultados da cúpula.

“Nesse sentido, sou pessimista. Não espero desta cúpula nenhuma decisão importante e construtiva que responda aos interesses de todos os europeus e, por conseguinte, dos russos”, disse.

Na sua opinião, a Associação Oriental “gera mais problemas que soluções” e “a triste história da anterior cúpula de Vilnius, que em grande medida provocou os fatos na Ucrânia, é um dos exemplos mais evidentes”.

A Associação Oriental inclui países que têm problemas com a Rússia como a Ucrânia e Geórgia, aliados do Kremlin como Bielorrússia e Armênia, e outros mais próximos a Bruxelas do que a Moscou como o Azerbaijão e Moldávia. EFE