Rússia veta resolução americana sobre a Ucrânia

  • Por EFE
  • 15/03/2014 14h29

A Rússia vetou neste sábado no Conselho de Segurança da ONU a resolução apresentada pelos Estados Unidos para defender a integridade territorial da Ucrânia e não reconhecer o referendo da Crimeia.

O veto mostrou o isolamento da Rússia, que foi o único país que se pronunciou contra, enquanto o restante do Conselho se pronunciou a favor, com exceção da China, que se absteve.

O embaixador russo, Vitaly Churkin, defendeu que o projeto de resolução ia contra a igualdade de direitos da população da Crimeia e de seu direito à autodeterminação.

Churkin afirmou que a Rússia defende o “princípio da integridade territorial dos Estados”, mas ressaltou que o caso conta com características extraordinárias. Entre elas, destacou que a atual situação na península deriva do “golpe de estado inconstitucional realizado por radicais em Kiev” e a ameaça que isso representa para a população crimeana.

Além disso, o embaixador lembrou que o território foi russo até 1954 e que foi cedido à Ucrânia “violando as normas” da União Soviética e “sem levar em conta a opinião da população”, o que também não foi feito após a desintegração da URSS, quando a Crimeia permaneceu como território ucraniano.

Por tudo isso, Churkin defendeu a legalidade do referendo previsto para amanhã e destacou que a Rússia “respeitará o desejo da população da Crimeia”.

O texto vetado pela Rússia foi colocado pelos Estados Unidos e teve o respaldo de todos os membros da União Europeia, além de Japão e Turquia, entre outros países. Nele, é declarado que a consulta “não pode ter validade e não pode servir de base para nenhuma alteração do status da Crimeia”, dado que a Ucrânia “não a autorizou”.