Russomanno e Covas estão empatados na disputa pela Prefeitura de São Paulo

A ex-prefeita Marta Suplicy, caso seja candidata do Solidariedade, aparece na terceira colocação, seguida pelo tucano Paulo Skaf; gestão Covas é aprovada por 52,5%

  • 21/08/2020 13h15 - Atualizado em 21/08/2020 13h40
Russomano aparece com pequena vantagem em dois cenários apresentados

O deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) e o prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB) estão tecnicamente empatados na disputa pela prefeitura da capital paulista, segundo levantamento do Paraná Pesquisas, divulgados nesta sexta-feira, 21. Russomanno aparece à frente nos dois cenários apresentados, porém Covas lidera no questionamento espontâneo. O levantamento também mostrou que a gestão de Covas é aprovada por 52,5% dos paulistanos, e que 32,5% afirmam que o governo é bom ou ótimo.

No primeiro cenário, o deputado federal lidera com 20,5% dos votos, contra 20,1% do tucano. A ex-prefeita Marta Suplicy (Solidariedade) aparece na terceira colocação, com 9,8% das intenções, seguida por Paulo Skaf (MDB), com 8%, Márcio França (PSB), com 7,6%. Em uma segunda hipótese Russomanno aparece à frente com 24,8% das intenções, ante 23,8% de Covas. Neste quadro, França fica na terceira colocação, com 9,5% dos votos. Guilherme Boulos (PSOL), aparece nos dois cenários com variação de 6,2% e 6,7%, enquanto Andrea Matarazzo (PSD) oscila entre 2,1% e 3% e Jilmar Tatto (PT) varia entre 2,3% e 2,9%.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL) também aparece nos dois cenários, com intenções que variam entre 1% e 1,5%. Levy Fidelix  (PRTB) oscila entre 1,1% e 2,1%, enquanto o deputado federal Arthur do Val (Patriota) ficou entre 1,9% e 2,4%. Os cenários ainda apresentam os nomes de Vera Lúcia (PSTU), com intenções entre 0,9% e 1,5%, Orlando Silva (PCdoB), com oscilação entre 0,8% e 1,1%, Felipe Sabará (Novo), com 0,5% e 0,7% e Marcos da Costa (PTB), 0,3% e 0,4%. Os eleitores que afirmaram não saber variam entre 4,4% e 4,8%, já os que afirmam que não votariam nos candidatos apresentados oscila de 12,5% para 14,7%.

No questionamento espontâneo, quando os nomes dos candidatos não são apresentados, Covas lidera com 5,3%, seguido por Fernando Haddad, com 1,9%. Russomanno fica em terceiro, com 1,8% da preferência dos eleitores. Os que afirmaram não saber em quem votar somam 68,7%, enquanto 14,6% dos entrevistados disseram que não votariam em ninguém. O levantamento também apontou que 13,2% dos eleitores votariam com certeza em Russomanno, enquanto 9,4% afirmam o mesmo de Covas. A rejeição do tucano também é maior, com 41,4% afirmando que não votariam nele de forma alguma, ante 43,8% de Russomanno.

A gestão de Covas é considerada ótima para 5,4% dos entrevistados e boa por 27,1%. A maioria, com 36%, acredita que a administração é regular, enquanto 12,5% afirmam que é ruim e 17,7% dizem ser péssima.  O levantamento do Paraná Pesquisas foi realizada entre 15 a 19 de agosto com 1.100 entrevistados. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos.