Sabesp começará a usar volume morto do Cantareira

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2014 08h43

A Sabesp começará a usar o volume morto do Cantareira em maio e acredita que abastecimento estará garantido até o fim do ano sem rodízio. A reserva estratégica, que poderá durar 4 meses, é mais uma tentativa de evitar o racionamento já que o sistema apresenta o menor nível da história: 12,4%.

O desconto para quem economiza e o fornecimento a partir de outros reservatórios, como o Guarapiranga, podem evitar medidas extremas. A presidente da Sabesp, Dilma Pena, argumentou que a água do Cantareira não vai acabar, mesmo com o uso do volume morto.

*Ouça os detalhes no áudio

Dilma afirmou que as críticas sobre a crise da água partem de quem não estuda o problema. O governador Geraldo Alckmin argumentou que a decisão sobre racionamento de água vai depender do desempenho diário do sistema.  

Alckmin acrescentou que mais de 70% da população economizou água, desde fevereiro. Nesta quinta-feira, começaram as obras do sistema produtor São Lourenço, em Vargem Grande Paulista, que será entregue em meados de 2017.

O objetivo é abastecer 1,5 milhão de pessoas de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira e Santana de Parnaíba. A oferta de água vai aumentar com a captação na represa Cachoeira do França, em Ibiúna.