Sabesp estuda usar volume morto do Alto Tietê e nega racionamento novamente

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2014 17h49

A Sabesp afirmou nesta quinta-feira que estuda usar o volume morto do Sistema Alto Tietê e voltou a negar a possibilidade de racionamento de água. Após ser usado como alternativa ao Sistema Cantareira por cinco meses, o nível de reserva no Alto do Tietê chegou a 20,8% nesta quinta-feira.

A companhia já admitiu que reduz a pressão de água durante a noite em alguns bairros para efetuar manobras e diminuir as perdas. O diretor de tecnologia e empreendimentos da Sabesp, Edson Pinzan, explicou porque o racionamento não será adotado e destacou os estudos a respeito da reserva técnica do Alto Tietê.

“Por exemplo, o rodízio, quando para de abastecer um bairro por 24 horas e volta a abastecer depois, em determinados bairros, em determinadas localidades, você pode ficar até três dias sem água. Então você diminui a pressão da água e quando ela volta pode causar, em alguns lugares, até três dias sem água, sem abastecimento. O sistema que a Sabesp está adotando hoje é o de gestão do abastecimento, que é muito mais racional, que é muito mais justo e ele distribui água para a população”, explicou o diretor.

Pinzan afirmou ainda que a expectativa da Sabesp é que as chuvas retornem em setembro ao nível histórico no Sistema Cantareira e, assim, a situação seja regularizada.