“Se dizer enganada é ingenuidade ou esperteza demais”, diz ex-diretor da Petrobras sobre Dilma

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2014 16h40
Dilma Rousseff era presidente do conselho administrativo da Petrobras na época da compra da refinaria

A compra de uma refinaria no Texas pela Petrobras em 2006 vem gerando grande repercussão com as denúncias de superfaturamento e evasão de divisas. Na época da compra, a presidente do conselho de administração da Petrobras era a atual presidente da República, Dilma Rousseff.

De acordo com a petista, ela aprovou a compra de 50% da refinaria americana porque ela recebeu informações incompletas de um documento falho e, se tivesse todos os dados, seguramente a compra não seria aprovada. Segundo o ex-diretor de gás e energia da Petrobras e atual diretor do Instituto de Energia e Ambiente da USP, Ildo Sauer, a proposta aprovada em 2006 atendia plenamente aos requisitos de estratégia da Petrobras e considerou correta a decisão tomada na época. Mas afirmou que se dizer enganada, é uma tentativa da presidente de tentar enganar os outros.

“Se supõe que os dirigentes nomeados na Petrobras sejam pessoas confiáveis e não colocariam armadilhas nesses documentos detalhados. (…) Quem nomeou os dirigentes da Petrobras foi a senhora Rousseff, como presidente do conselho de administração, inclusive esse diretor (…) que construiu todos aqueles projetos sobre termelétricas que deram enorme prejuízo à Petrobras. (…) Ela já conhecia o histórico dessas equipes todas. (…) Se dizer enganada, me parece uma tentativa de enganar os outros”, contou Sauer.

Na opinião do diretor, o que estão querendo fazer é demonizar alguns para tentar transformar os outros em heróis, o que nitidamente não é mais o caso. “Quando as coisas dão errado, a senhora Rousseff vai procurar um ou outro culpado e se dizer vítima. Está na hora de começar a assumir as responsabilidades de tudo que fez e tudo que disse”, afirmou.

Com relação à atribuição da culpa ao ex-presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, Sauer disse que não se pode colocar a culpa no presidente e nos outros que estão na cadeia.

“Ele era presidente, ele não conseguiu o negócio, ele foi um dos dirigentes que aprovou, que no conselho também aprovou, assim como ela (Dilma), e não foi ele que nomeou o diretor da área. Não me cabe defendê-lo aqui, mas não da para achar que ele ou outros que estão na prisão possam ser chamados a assumir as culpas. Esse assunto tem que ser apurado”, contou.

O ex-diretor ainda afirmou que a tentativa da presidente de “simplicar uma complexidade de decisão desse porte, dizer que foi enganada por parecer, isto é uma ingenuidade do lado de lá ou esperteza demais”.

Confira a entrevista completa de Ildo Sauer sobre o caso da Petrobras no áudio acima.