Secretário de Segurança de SP promete conduzir pasta com “alma de coronel”

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2016 15h24
São Paulo- SP- Brasil- 16/05/2016- O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta segunda-feira (16) a escolha do procurador de Justiça Mágino Alves Barbosa Filho para ser o novo secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Ele substituirá Alexandre de Moraes, que assumiu o ministério de Justiça e Cidadania. "O Dr. Mágino tem grande experiência na área criminal. Ele dará continuidade ao trabalho desenvolvido pelo dr. Alexandre em benefício do nosso Estado", declarou o governador. Foto: GESPMágino Alves Barbosa Filho - DIV

O novo secretário estadual da Segurança Pública de São Paulo prometeu dar continuidade à gestão do antecessor Alexandre de Moraes.

Mágino Alves Barbosa Filho disse que irá conduzir a pasta com “alma de delegado” e “alma de coronel” ao ser empossado nesta terça-feira (17). Ele não deve alterar a cúpula das polícias e não prometeu mudanças pelos próximos dezessete meses.

O secretário Mágino Alves Barbosa Filho disse esperar maior cooperação do Governo Federal agora que Alexandre de Moraes assumiu a Justiça.

“Simplesmente a gente não conseguia avançar em temas porque não havia compreensão do Governo federal do que exatamente nós pretendíamos. Isso não é para um projeto para o governo do Estado de SP, não é um projeto pessoal. Isso é para mudar a segurança do brasileiro que mora em São Paulo”, afirmou.

Uma das parcerias que pode ser articulada em breve é a integração entre as polícias rodoviárias estadual e federal para o patrulhamento de estradas.

O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, também se queixou da integração entre União e Estados e prometeu mudar o panorama.

“A questão de um plano nacional de combate à homicídios e ao tráfico de armas e drogas não depende só da Polícia Federal, depende do Ministério da Justiça poder fazer essa interface com os Estados, com o Ministério da Defesa, Ministério das Relações Exteriores”, disse.

O ministro aproveitou para dizer que não houve qualquer tipo de mal estar causado pelas declarações dele a respeito da eleição de lista tríplice da Procuradoria-Geral da República.