Secretário de Segurança Pública aprova ação da PM em manifestação, mas julga “desnecessária” utilização de bombas de gás no metrô

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2015 17h07
SÃO PAULO,SP,29.01.2015:PROTESTO-PASSE-LIVRE - Protesto de integrantes do Movimento Passe Livre (MPL) na Avenida Paulista, em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (29), contra o aumento do valor da tarifa do transporte público, que passou de R$ 3,00 para R$ 3,50, e entrou em vigor no dia 06 de janeiro deste ano. Concentração no Vão Livre do MASP. Policiais foram acionados para acompanhar os manifestantes. (Foto: Fernando Zamora/Futura Press/Folhapress)Sexta manifestação MPL

O Secretário de Segurança Pública de São Paulo aprovou a ação da Polícia Militar na manifestação desta quinta-feira (29), mas reconheceu abusos em protestos anteriores.

Alexandre de Moraes entendeu que foi desnecessário o uso de gás lacrimogêneo dentro da estação Faria Lima da Linha-4 Amarela do metrô paulista.

O secretário afirmou que eventuais abusos dos policiais estão sendo investigados pela Corregedoria da PM e se comprovados, haverá punições. “Nas outras manifestações isso está filmado. Claramente houve necessidade de uma reação. Eventuais abusos, inclusive na segunda ocorrência com um repórter já estão na Corregedoria, para apurar e identificar o policial que atirou. Se confirmado esse abuso, haverá punição”, confirmou o secretário.

Sobre o uso do artefato explosivo no estação da Linha-4 Amarela, ele disse que se as catracas tivessem sido liberadas, o tumulto seria menor. “Não achei necessário o lançamento de bombas de gás no metrô, mas eu não estava lá presente, vi apenas pelos vídeos. Está sendo apurada a utilização destas dentro do espaço confinado, até por que teria sido muito mais fácil a concessionária ter liberado as catracas”, finalizou.