Secretário diz que irá recorrer de liminar, mas reajuste de integrações está mantido

  • Por Jovem Pan
  • 09/01/2017 12h34
Clodoaldo Pelissioni

A Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo manteve nesta segunda-feira (09) o reajuste da tarifa entre ônibus e trilhos. O valor, que era de R$ 5,92, subiu para R$ 6,80. A mudança ocorre mesmo após decisão liminar da última sexta-feira (06), que impedia o reajuste.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o secretário Clodoaldo Pelissioni reafirmou que a liminar ainda não foi recebida pela pasta, mas garantiu que irá falar com a Procuradoria do Estado para entrar com um recurso contra a decisão.

“Vamos recorrer porque a política tarifária que estamos adotando neste é o melhor para São Paulo, capital e Grande SP. Acreditamos que vamos conseguir efetivamente ganhar o recurso”, disse. “Estamos conseguindo congelar a tarifa para a maioria da população”, defendeu. Em caso de derrota, no entanto, ele garantiu que a liminar será cumprida tão logo as empresas sejam oficiadas.

A liminar do juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho cancela toda a planilha de aumentos publicada em dezembro do ano passado. Apenas o transporte intermunicipal não teve o aumento barrado.

Confira abaixo os reajustes propostos pelo governo de Geraldo Alckmin e pelo prefeito João Doria, e que estão mantidos mesmo após a liminar:

Tarifa do Metrô: manutenção de R$ 3,80

Tarifa da CPTM: manutenção de R$ 3,80

Tarifa de ônibus: manutenção de R$ 3,80

Integração ônibus + Metrô/CPTM: aumento de R$ 5,92 para R$ 6,80

Bilhete 24 horas (comum): aumento de R$ 10 para R$ 15

Bilhete 24 horas (integração): aumento de R$ 16 para R$ 20

Bilhete mensal (comum): aumento de R$ 140 para R$ 190

Bilhete mensal (integração): aumento de R$ 260 para R$ 300

O secretário defendeu o reajuste, por exemplo, das integrações. “É uma redução dos descontos. Ainda estamos fazendo com que o bilhete de integração tenha atrativos. É mais barato que os bilhetes vendidos separadamente”.

Para os usuários que recarregaram seus cartões para uso com o valor reajustado, o secretário de Transportes disse que haverá um estudo sobre a data de início da liminar, para saber a partir de quando ela deve ser cumprida: “enquanto a liminar não vem, os valores praticados são os previstos no informe que o Executivo mandou para a Assembleia Legislativa” (confira acima). Sobre um possível ressarcimento aos usuários, Clodoaldo Pelissioni desconversou e disse que tem como procurar as pessoas e estudar sobre o caso.

Sobre a alegação do juiz que concedeu a liminar de que haveria “ilações de que a manutenção da tarifa básica do metrô apenas se deu porque o governador do Estado não queria arcar com o ônus político do reajuste, pois o candidato a Prefeito Municipal por ele apoiado e eleito declarou após as eleições que manteria o valor da tarifa básica do ônibus”, o secretário respondeu: “está faltando um pouquinho de informação nessa discussão”. Ele alegu ainda que com R$ 3,80 a pessoa pode usufruir dos quilômetros de trilhos em São Paulo. “Estou beneficiando aqueles que se utilizam das grandes distâncias, porque o preço está congelado. Quanto a questão de Prefeitura poderíamos ter preços diferentes”, esclareceu.